OPERAÇÃO TENDAS DE OURO

Licitação para montar estrutura de hospitais de campanha no Amapá foi direcionada, segundo PF

Licitação para montar estrutura de hospitais de campanha no Amapá foi direcionada, segundo PF

Policiais federais recolheram documentos que podem comprovar a prática criminosa

Compartilhe:

As tendas montadas para atender pacientes com sintomas da Covid-19 em frente ao Hospital de Emergência de Macapá e no Hospital de Santana viraram alvo da Operação Tendas de Ouro, deflagrada nesta terça-feira, 11, pela Polícia Federal (PF), com apoio do Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com a investigação, há fortes indícios de fraude na licitação realizada para contratar o serviço de locação de galpão, montagem e desmontagem das tendas, que eram utilizadas para atender pacientes com a Covid-19.

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas residências dos investigados, na Secretaria de Saúde do Amapá e na sede da empresa vencedora do certame.

Prédio da Secretaria de Saúde do Estado foi um dos alvos da operação desta terça-feira

A PF apurou ainda que existe a possibilidade de fraude no caráter competitivo da licitação, com apoio de um servidor, indicando o desvio de valores, indícios de direcionamento no certame para a empresa vencedora, além do superfaturamento e pagamento efetuado duas vezes pelo mesmo serviço.

Durante a investigação, foi constatado que a empresa investigada já prestou serviços antes, nesse caso da contratação para a montagem e desmontagem da estrutura metálica, envolveu o valor de R$ 1.517.101,00, sendo que segundo a PF, houve o desvio de pelo menos R$ 563.000,00.

“Os investigados poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e fraude à licitação. Se condenados podem cumprir pena de até 24 anos de reclusão”, afirmou a PF.

Até a publicação desta reportagem, o Governo do Amapá ainda não havia se manifestado sobre a operação.

Compartilhe: