Direção nega ilegalidade

Escola municipal teria encerrado atividades sem concluir calendário letivo

Escola municipal teria encerrado atividades sem concluir calendário letivo

Escola atende cerca de 80 alunos, distribuídos em sete turmas, da educação infantil à 5ª série

Compartilhe:

Devido às inúmeras greves de professores e de catraieiros em 2019, o calendário da rede municipal de ensino de Santana ainda não encerrou, mas no interior do município já tem escola com as portas fechadas. É o caso da Escola Municipal Foz do Rio Vila Nova, a 30 minutos de embarcação da sede do município.

De acordo com denúncia, os professores efetivos não cumpriram a carga horária de 200 dias letivos e a ausência da direção da escola fez com que os alunos encerrassem as atividades mais cedo. Em uma reunião feita com a comunidade escolar, professores, pais e catraieiros, a escola seguiria dois calendários distintos, o primeiro estabelecido para os professores que não aderiram à greve e o segundo para ser seguido após greve, que funcionaria até o próximo dia 31 de janeiro.

A reposição dos 32 dias de greve dos professores e os 14 dias de paralisação dos catraieiros que fazem o transporte escolar, ocorreria duas vezes por semana no contra turno, para que o calendário escolar fosse cumprido e não prejudicasse os alunos, mas apenas o primeiro calendário foi cumprido até o dia 28 de dezembro.

Os professores que aderiram à greve retornaram aos trabalhos no início de janeiro, mas não teriam cumprido o contra turno e antecipado o fim das aulas para o último dia 16. Moradores da comunidade afirmam a ausência do diretor na escola já foi denunciada à Secretaria Municipal de Educação, mas nenhuma medida foi tomada. Diante disso, o caso será levado ao Ministério Público Estadual (MPE/AP).

A escola atende cerca de 80 alunos, distribuídos em sete turmas, da educação infantil à 5ª série. A previsão é que o calendário escolar de 2020 inicie em março.

Em 2018, o calendário letivo na rede municipal de Santana também encerrou antes do cumprimento dos 200 dias letivos. Na época, a Secretaria Municipal de Educação (Seme) informou que o motivo para o fim das aulas foi a falta de merenda e até de gás de cozinha em algumas unidades de ensino.

Sobre a Escola Foz do Rio Vila Nova, o diretor da unidade de ensino, Weisse Pontes, explicou que a carga horária foi cumprida integramente e que o ano letivo encerrou antes do previsto porque as aulas foram lecionadas no contra turno. Quanto à ausência na escola, afirmou que, além da Foz do Rio Vila Nova, ele também é responsável pelo anexo, que fica em outra comunidade, distante cerca de 50 minutos de barco. Disse ainda que precisa estar em Santana para resolver questões a respeito de merenda escolar, material didático e outros assuntos.

Compartilhe: