Artistas iniciam movimento ‘Cultura é Prioridade’ em Santana

  • Silvio Guedes e Roberto Prata lideram o movimento para resgatar a cultura santanense
    Silvio Guedes e Roberto Prata lideram o movimento para resgatar a cultura santanense
É inadmissível que tenhamos espaços para a cultura que não são utilizados de maneira correta. —   - Silvio Guedes

A falta de políticas públicas, o descaso em relação ao setor e até prédios inacabados, estão entre as principais reivindicações do um movimento denominado “Cultura é Prioridade”, encabeçado por artistas do município de Santana. A intenção é chamar a atenção da população e das autoridades, da necessidade de apoio ao segmento.

Silvio Guedes e Roberto Prata, somados, possuem mais de 50 anos de carreira no teatro amapaense, ambos moradores de Santana. Interpretando palhaços, bêbados e homossexuais, eles conquistaram o público, principalmente com o humor. Agora, por uma causa séria, eles cobram medidas que possam beneficiar os mais de cinco grupos teatrais da cidade. As demandas, segundo eles, não são de hoje e vêm se acentuando, fazendo com que a cultura local caia no esquecimento.

Sem alternativas ou perspectivas de mudanças, o movimento tem percorrido praças do município com apresentações teatrais ao ar livre gratuitamente. Além disso, os artistas já procuraram a administração municipal, mas não tiveram respostas. Enquanto isso, o Teatro Municipal, uma obra que teve sua obra paralisada há mais de seis anos, está abandonado. A Casa da Juventude, espaço construído para realização de oficinas de dança e teatro, além de cursos, está completamente deteriorada, sem qualquer atividade relacionada aos seus fins.

“É inadmissível que tenhamos espaços para a cultura que não são utilizados de maneira correta. O teatro, que serviria para os grupos fomentarem seus espetáculos e garantir uma renda, não tem previsão de conclusão e está daquele jeito, abandonado. A Casa da Juventude não tem qualquer programação voltada aos jovens. É lamentável”, disse Silvio Guedes.

Com o movimento, que conta com a adesão de mais de 50 artistas locais, a intenção é coletar 4 mil assinaturas para a criação de um projeto de lei de iniciativa popular, criando o Sistema Municipal de Cultura. O documento será levado para a apreciação na Câmara de Vereadores e, se aprovado, cabe ao gestor municipal sancioná-la ou não. Indignado, mas otimista Roberto Prata quer respostas.

“Já que até agora não tivemos qualquer resposta do prefeito de Santana, decidimos ir à luta para mostrar que existe uma cultura e que merece ser valorizada. A gestão municipal não pode simplesmente deixar nossa cultura morrer. Por isso, estamos pedindo as assinaturas e vamos tentar aprovar o projeto de lei”, finalizou Prata.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui