Projeto propõe intervenção urbanística na Baixada do Ambrósio

  • Projeto de intervenção na Baixada do Ambrósio foi apresentado aos moradores no último sábado, 7
    Projeto de intervenção na Baixada do Ambrósio foi apresentado aos moradores no último sábado, 7
Essa proposta de intervenção urbana, com a construção de ruas, vai permitir que serviços básicos, como de saúde e segurança pública, por exemplo, melhorem no Ambrósio. —   Dr. Fabiano - vereador de Santana

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, dos Conflitos Agrários, Habitação e Urbanismo da Comarca de Santana propõe um projeto de intervenção urbanística na Baixada do Ambrósio, na Área Portuária de Santana. A proposta foi apresentada no último sábado, 7, aos moradores da comunidade, com a presença do promotor de Justiça Adilson Garcia, do prefeito Ofirney Sadala, o deputado federal Marcos Reátegui, além dos vereadores Rarison Santiago, Dr. Fabiano e Helena Lima, presidente da Câmara Municipal de Santana.

O projeto propõe de vias na Baixada do Ambrósio e melhorias no acesso ao porto particular Souza Mar, um dos mais movimentados da cidade. Pela proposta, serão construídas três avenidas e uma rua. Para isso, será necessário desapropriar 155 casas.

Os moradores aprovaram o projeto, mas sugeriram adaptações, como a destinação de uma área para atracar as embarcações e escoar os produtos, como açaí, por exemplo. O vereador Dr. Fabiano reconheceu a importância do projeto, para dar melhores condições de moradia aos habitantes do Ambrósio. “Essa proposta de intervenção urbana, com a construção de ruas, vai permitir que serviços básicos, como de saúde e segurança pública, por exemplo, melhorem no Ambrósio”, afirmou o parlamentar.

Marcos Reátegui, coordenador da bancada federal do Amapá, se comprometeu em mobilizar os outros deputados e senadores a alocarem recursos para colocar o projeto em prática. Ele anunciou que tem duas emendas destinadas para investimentos no Ambrósio e Elesbão, uma de R $ 1,5 milhão e outra de R $ 1,4 milhão, que podem viabilizar a melhoria da vida dos moradores.

"As duas áreas são consideradas de risco social e com problemas de infraestrutura, segurança e mobilidade, onde moram pessoas que na maioria são ribeirinhas. Me comprometi em trabalhar junto com o promotor para atender as demandas, como passarelas e água tratada. Vou mobilizar a bancada para que voltem a atenção para estas áreas de baixada, e vamos conseguir. O projeto é ousado, mas executável, basta união de forças e aporte financeiro para mudar a realidade dos moradores", concluiu Reátegui.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui