Por aclamação, Roberto Góes é mantido na presidência da FAF

  • Roberto Góes tem como vice-presidentes Netto Góes e Paulo Rodrigues
    Roberto Góes tem como vice-presidentes Netto Góes e Paulo Rodrigues
img
Jonhwene Silva
Editor de esportes
Ajudar os times a chegaram em outro patamar do futebol brasileiro é um dos nossos compromissos. —   Roberto Góes - presidente da FAF

Sem muitas surpresas, o deputado federal e também presidente da Federação Amapaense de Futebol (FAF), Roberto Góes foi aclamado para comandar a entidade máxima do futebol do Amapá por mais quatro anos. Clubes profissionais, amadores e ligas desportivas dos municípios, o reconduziram por unanimidade. Meses antes de iniciar o processo, diversos nomes foram cogitados para a disputa. Apesar disso, ninguém se inscreveu.

A nova presidência da FAF terá Roberto Góes na presidência, Netto Góes, como primeiro vice-presidente, e Paulo Rodrigues, segundo vice-presidente. Este será o 4º mandato de Góes que comanda a entidade até 2022. Entre os desafios, está o de ajudar times que disputam competições nacionais. O acesso às series D, C e B, estão às prioridades destacadas pela chapa.

“É uma prioridade, sim. Ajudar os times a chegaram em outro patamar do futebol brasileiro é um dos nossos compromissos. Os clubes precisam desse incentivo porque representam o nosso Estado e com isso geram receita. Isso possibilita que os clubes ganhem e o torcedor também”, disse Roberto Góes.

Outra aposta da FAF para os próximos anos será o investimento em tecnologia. A informatização de diversos setores da entidade será tratada com prioridade. Foi o que afirmou o vice-presidente da federação.

“Já é uma preocupação e vemos essa necessidade. O investimento em modernização, aliada à tecnologia, terá uma atenção fundamental. Vamos com o apoio dos clubes e ligas, investir na melhoria de sistemas de dados e nos setores da FAF”, afirmou Netto Góes.

O calendário da FAF também foi mencionado pela presidência da entidade. O incentivo nas disputas das categorias de base, juntamente com o desporto escolar, será um projetos que deverá ser implementado já em 2018, assegurou Roberto Góes.

“Eu considero que nessa gestão, aliar as disputas sub-15, sub-17 e sub-20, com os jogos escolares, é fundamental para conseguirmos desenvolver o futebol de base. Vamos fazer isso já em 2018. Acredito que teremos grandes resultados muito rapidamente com a utilização dessa garotada pelos clubes”, reafirmou.

Uma das competições mais atraentes e de maior sucesso do Estado deverá ganhar nova roupagem este ano. O Campeonato Intermunicipal, onde representantes dos 16 municípios amapaenses encaram a disputa, poderá ter apoio da iniciativa privada. As negociações com o grupo Domestilar estariam avançadas, já que haveria interesse de investimentos por parte dos empresários.

“O Intermunicipal este ano, provavelmente, será reformulado. Principalmente, em virtude do apoio desse grupo de investidores que vê retorno no apoio à competição. Vamos agregar e certamente que será um atrativo a mais na disputa. Lógico, sem deixar esquecer a tradição da torcida em apoio seus times nos municípios”, afirmou Roberto Góes.

Góes anunciou que vai estar disputando em breve a cadeira de vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol para Região Norte. O dirigente afirmou que caso se concretize, muitas prioridades do futebol nacional deverão ter um direcionamento para o Amapá.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui