Morre segundo suspeito que trocou tiros com a Força Tática em Macapá

  • Local onde a PM trocou tiros e derrubou Paulo Lucas
    Local onde a PM trocou tiros e derrubou Paulo Lucas Foto - Divulgação
img
Elder de Abreu
REPÓRTER E EDITOR
Paulo Lucas Batista, de 19 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira, 7, dois dias depois do confronto. Mesmo se sobrevivesse, ficaria paraplégico.

Morreu na madrugada desta quarta-feira, 7, o segundo dos três suspeitos que trocaram tiros com militares do Batalhão Força Tática (BFT) na segunda-feira, 5, em Macapá. Paulo Lucas Batista tinha 19 anos de idade e estava internado no Hospital de Emergências (HE) da capital desde a tarde de segunda-feira, 5, após confronto com a polícia. Segundo a equipe médica da unidade, mesmo se sobrevivesse, ele ficaria paraplégico.

Juntamente com Valclei da Silva Lopes, de 18 anos, que morreu no mesmo hospital, horas depois da troca de tiros, e um terceiro criminoso ainda não identificado, Paulo Lucas Batista teria feito reféns um homem e seu filho, de apenas um ano de idade, segundo a Polícia Militar.

As vítimas estavam ao lado de um shopping, no Centro, quando foram rendidas. Os suspeitos colocaram o homem e a criança no banco de trás do carro da vítima, um Onix de cor preta, mas a ação criminosa foi percebida por um policial à paisana, que estava de folga e avisou os colegas de farda de plantão.

De acordo com o apurado pela polícia junto ao proprietário do carro, a intenção dos criminosos era usar o veículo em um assalto e forçar o proprietário a sacar dinheiro para eles, sob a ameaça de matar a criança. Contudo, o plano dos bandidos teria mudado quando um deles viu, no porta luvas do carro, a boina da esposa do refém. Ela é bombeira militar. Os criminosos então começaram a pensar que o homem era policial e anunciaram a morte dele.

Àquela altura, uma equipe da Força Tática já havia localizado o carro roubado com os reféns e bandidos dentro. A perseguição seguiu até o Conjunto Açucena, no bairro Cuba de Asfalto, zona sul de Macapá. Na troca de tiros, Lopes e Batista caíram feridos. O suspeito que estava dirigindo o veículo roubado conseguiu escapar para uma área de ponte atrás do conjunto.

Nas redes sociais ainda circula um vídeo que mostra Valdiclei Lopes baleado tendo convulsões, com um revólver em punho. As imagens também mostram Paulo Batista agonizando. Ao lado dele, outro revólver. As armas, ambas de calibre 38, com várias cápsulas de munições disparadas, foram entregues à Polícia Civil. O terceiro suspeito ainda não foi localizado

1 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentários

  •  
    adailson

    07/03/2018 às 11:22h

    o nome " suspeitos" é sempre empregado de forma erradas em todos reportagens que leio nessa por exemplo afirma que ele roubaram o veiculo e queriam matar o proprietário mas assim mesmo usa a palavra suspeito que só deveria ser usada quando nao se tem certeza que aquela infração foi feita pelo agente nesse caso que ele afirma que eles fizeram a infração/crime o melhor termo seria infratores ou criminosos

Anuncie Aqui