Com morte cerebral da esposa, agricultor pode responder por duplo homicídio

  • Edilei tem um histórico de violência
    Edilei tem um histórico de violência Divulgação
Os órgãos vitais e a respiração de Celiane funcionam apenas com a ajuda de aparelhos médicos.

Preso por assassinar o vizinho e mutilar a esposa, o jovem e violento Edilei da Costa Tolosa, de 23 anos, pode responder por mais uma morte. É que a equipe médica do Hospital de Emergências iniciou o protocolo de avaliação de morte cerebral da agricultora Celiane dos Santos Picanço, que teve os dedos da mão direita decepados e o corpo dilacerado com golpes de terçado, desferidos pelo marido, Edilei.

A informação foi confirmada pelo Correio de Santana junto à Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O procedimento é constituído de vários testes clínicos e exames médicos para verificar a interrupção completa e irreversível de todas as funções cerebrais, mesmo na presença de atividade cardíaca ou reflexos.

De acordo com informações de uma fonte de dentro do hospital, os órgãos vitais e a respiração de Celiane funcionam apenas com a ajuda de aparelhos médicos. Contudo, apenas a conclusão do protocolo de avaliação é que vai determinar se este já é o quadro da agricultora. Apesar da legislação brasileira proibir a eutanásia, em caso de morte cerebral, parentes do paciente podem optar por desligar os aparelhos. A decisão cabe à família.

O marido da vítima está no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) desde a segunda-feira, 5. Ele foi preso por policiais militares no domingo, 4, à noite, quando se escondia na casa de parentes, na mesma localidade onde ocorreu o crime.

A barbárie ocorreu no dia 1º, na pacata comunidade do Carmo do Macacoari, distrito do município de Itaubal, a 112 km da capital, Macapá. Existem duas versões para o caso. A primeira, que a Polícia Civil acredita ser a verdadeira, é de que Edilei teria sido flagrado por Celiane tentando estuprar a enteada, uma menina de 6 anos, filha apenas da agricultora. A mulher então teria gritado por socorro. Os gritos foram ouvidos pelo vizinho do casal, Aloizio do Rosário, de 59 anos, que teria sido morto com várias terçadadas ao tentar ajudar. Em seguida, Edilei teria atacado Celiane.

Já no relato defendido pelo acusado, ele teria chegado em casa e encontrado a esposa o traindo com o vizinho. A reação foi uma ação descontrolada de fúria, que resultou na morte de Rosário e na barbárie contra a esposa.

Apesar da aparência inofensiva do jovem agricultor, ele tem um histórico de violência. Já esteve preso por tentativa de homicídio, em 2015. Moradores da comunidade do Macacoari contam que nos cinco anos em que foram casados, Edliei sempre demonstrou muito ciúmes pela esposa.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui