Identificados os suspeitos que enfrentaram a Força Tática. Um morreu e outro pode ficar paralítico

  • Local onde a polícia encurralou e derrubou os suspeitos na troca de tiros
    Local onde a polícia encurralou e derrubou os suspeitos na troca de tiros Foto - Divulgação
img
Elder de Abreu
REPÓRTER E EDITOR
Valclei da Silva Lopes, de 18 anos, não resistiu aos ferimentos do confronto. Com os acusados, a polícia apreendeu um revólver calibre 38.

A Polícia identificou os dois dos três suspeitos que trocaram tiros com militares do Batalhão Força Tática (BFT) na tarde de segunda-feira, 5, em Macapá. Eles perderam o confronto com os policiais e foram levados para o Hospital de Emergências (HE), onde um deles não resistiu aos ferimentos.

Valclei da Silva Lopes, de 18 anos, morreu no início da noite. Paulo Lucas Batista, de 19 anos, foi operado, mas seu estado clínico é grave. São grandes as chances de ele ficar paraplégico.

Segundo a versão da Polícia Militar, na companhia de um terceiro suspeito, que ainda não foi identificado, Lopes e Batista teriam rendido e feito reféns um homem e seu filho, de apenas um ano de idade. As vítimas estavam ao lado de um shopping, no Centro. Eles colocaram o homem e a criança no banco de trás do carro da vítima, um Onix de cor preta, mas a ação criminosa foi percebida por um policial à paisana, que estava de folga e tentou intervir.

Eles foram seguidos pelo policial, que avisou a central do Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes). A partir do alerta, uma equipe do BFT conseguiu localizar o carro roubado com os dois reféns dentro na avenida Padre Júlio. A perseguição seguiu pela rua Minas Gerais e entrou na avenida 13 de Setembro. A caçada só terminou quando os militares conseguiram encurralar os suspeitos atrás do Conjunto Açucena, no bairro Cuba de Asfalto, zona sul de Macapá.

Na troca de tiros, Lopes e Batista caíram feridos. O suspeito que estava dirigindo o veículo roubado conseguiu escapar para uma área de ponte atrás do conjunto. Os acusados foram socorridos por uma equipe do Serviço Atendimento Médico de Urgência (Samu), conforme recomendação do Ministério Público Estadual.

Um vídeo circulou nas redes sociais. As filmagens mostram os momentos logo em seguida à troca de tiros. Nas imagens, aparece Valdiclei Lopes baleado, sofrendo convulsões, com um revólver em punho. Outro armamento de fabricação caseira estaria, segundo a polícia, com Paulo Batista. As armas, ambas de calibre 38, com várias cápsulas de munições disparadas, foram entregues à Polícia Civil.

Legenda: Local onde a polícia encurralou e derrubou os suspeitos na troca de tiros

Foto - Divulgação

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui