Técnico em enfermagem é preso após tentar ‘vender’ cirurgia no Hospital de Emergência de Macapá

  • Técnico foi preso em flagrante no Hospital de Emergências
    Técnico foi preso em flagrante no Hospital de Emergências Foto - Divulgação
img
Elder de Abreu
REPÓRTER E EDITOR
Denúncia foi feita por uma paciente. Entre as provas estão áudios e conversas de Whatsapp

A Polícia Civil do Amapá flagrou o que pode ser a ponta do iceberg de um grande esquema de venda ilegal de cirurgias do Sistema Único de Saúde no Estado. Um funcionário efetivo da rede estadual de saúde foi preso em flagrante e agora a polícia espera que outras denúncias possam revelar uma rede interligada de venda de procedimentos cirúrgicos no Amapá.

O suposto esquema é investigado pela equipe da 6ª Delegacia de Polícia (DP), que na manhã desta quinta-feira, 22, prendeu o técnico em enfermagem Josiney dos Santos Silva, dentro do Hospital de Emergências, em Macapá.

De acordo com a polícia, ele teria assediado uma paciente com a oferta de antecipar a operação ortopédica da mesma. A mulher está na fila de cirurgia desde que sofreu um acidente de trânsito, no início deste mês. Segundo a polícia, na quarta-feira, 21, ela buscava por informações sobre a previsão de data do seu procedimento, quando foi abordada pelo técnico em enfermagem com a proposta de incluí-la no mapa de cirurgias mediante o pagamento de R$ 1,2 mil.

Conforme as investigações, a partir deste primeiro contato, o técnico e a paciente trocaram números de telefone e começaram a se comunicar através de whatsapp. Foram as mensagens e áudios trocadas pelo aplicativo que acabaram comprovando a denúncia e incriminando o funcionário público.

Já na manhã de quinta-feira, o nome da paciente apareceu no mapa de cirurgias, com agendamento de operação para as 14h. Contudo, Josiney Santos cobrava o pagamento. A paciente decidiu denunciar depois que ele tornou a proposta ainda mais indecente.

Segundo as investigações, o técnico teria proposto que ela pagasse R$ 800 em dinheiro e o restante seria abatido caso ela mantivesse relações sexuais com ele. O assédio sexual levou a paciente a procurar a direção do hospital. Ao tomar conhecimento, o diretor da unidade, o enfermeiro Waldir Bittencourt, procurou a polícia, foi até o hospital algemar o acusado.

Josinei Santos acabou autuado em flagrante, pelo delegado Leonardo Brito, por crime de concussão na forma do (Art. 316 do Código Penal Brasileiro), com agravante do assédio sexual. Uma audiência de custódia deverá decidir se ele responderá preso ou em liberdade ao processo criminal.

De acordo com a direção do Hospital de Emergências, já existia a suspeita de que servidores do hospital exigiam valores para agendamento de cirurgias ortopédicas. Uma comissão interna foi montada para apurar os indícios.

A polícia acredita que a divulgação deste caso pode motivar novas denúncias de pacientes.

1 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentários

  •  
    Eitor dos santos

    23/02/2018 às 07:06h

    Infelizmente o Estado todo é corrupto, isso com certeza não existe apenas no HC e sim também no Hcal,o que é mas triste é que se duvidar até os médicos estão no esquema..tem que ser feito uma auditoria a fundo para prender essa bandidos que estão invertido de decidir público, a saúde está doente e precisa de socorro.

Anuncie Aqui