Com homens vestidos de mulher, Bloco das Piranhas completa 41 anos

  • Homens vestidos de mulher são a marca do Bloco, que completa 41 anos
    Homens vestidos de mulher são a marca do Bloco, que completa 41 anos - Divulgação
Além dos homens fantasiados, as mulheres e crianças também entram na brincadeira, que tem um único objetivo, contribuir com o carnaval popular do município. —   Fábio Moraes - coordenador do bloco

A terça-feira do carnaval de 2018 (13/02) tem alegria garantida no corredor da folia em Santana. O Bloco das Piranhas, conhecido pela irreverência e humor dos homens vestidos de mulher, vai completar 41 anos de tradição.

Este ano, a concentração ocorrerá a partir das 17h, na rua Machado de Assis com Avenida Santana, na Área Comercial. O arrastão será animado por trio elétrico, som automotivo e bandas locais, com apoio do governo do Estado e da prefeitura. "Tudo com muita criatividade, alegria e o bom humor do santanense. Além dos homens fantasiados, as mulheres e crianças também entram na brincadeira, que tem um único objetivo, contribuir com o carnaval popular do município", disse o coordenador do bloco, Fábio Moraes, o "Guru".

O Bloco das Piranhas, hoje Associação Carnavalesca e Cultural, surgiu no dia 5 de fevereiro de 1977. Quando era realizado pela Indústria e Comércio de Minérios (ICOMI), o evento ocorria todos os anos no Santana Esporte Clube com bailes infantis e carnavalescos voltados para os filhos e funcionários da empresa. 

Na oportunidade, os funcionários revolveram inovar para que a festa não encerrasse somente no Baile. Com esta intenção, a comunidade local, funcionários, amigos e seus filhos vestiam-se de mulher, e com suas mais irreverentes e criativas fantasias saíam de suas casas pelas ruas da tradicional Vila Amazonas, em direção à festa no clube. Foi então que, a partir dessa manifestação popular, surgiu o Bloco das Piranhas, alguns de seus militantes e pioneiros como “Louro”, “Vico”, “Valdir”, “Codorna”, “Burica”, “Coló”, “Ribamar”, “Dedão”, entre outros, já em 1978, criaram a primeira comissão organizadora do Bloco, que contou com a participação dos moradores “Velho”, “Louro” e “Ribamar”, desde então essa tradição ganhou espaço e faz parte de do legado cultural do município. 

Nos últimos anos, o projeto tem buscado reunir os foliões de todas as classes, para brincar o carnaval das micaretas no contexto de um bloco popular, com o verdadeiro carnaval a fantasia no corredor da folia. 

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui