Incêndio destrói dez casas na Zona Sul de Macapá

  • Aglomerado de casas e o vento forte dificultaram o trabalho dos bombeiros
    Aglomerado de casas e o vento forte dificultaram o trabalho dos bombeiros - Gilberto Pimentel
É triste ver o que a gente lutou tanto pra conseguir se perder em questão de minutos. —   Francisco Borges - pedreiro

Um incêndio, no fim da tarde deste sábado, 30, destruiu dez casas, no bairro Beirol, Zona Sul de Macapá. O fogo foi provocado por um homem, depois de uma briga com outra pessoa. Ele ateou fogo na residência da vítima e as chamas atingiram outros imóveis, em uma área de ponte às margens do canal do bairro. Ninguém se feriu.

Por volta de 17h20, o Corpo de Bombeiros foi acionado para combater o incêndio na Travessa Vasco da Gama. O aglomerado de casas e o vento forte dificultaram o trabalho dos militares, que levaram cerca de duas horas para combater as chamas. “Pelas características do local, o combate foge a qualquer técnica. Mas já estamos acostumados com esse tipo de situação. Montamos duas frentes e conseguimos controlar o fogo”, disse o coronel Wagner Coelho, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM-AP).

Enquanto os bombeiros tentavam apagar as chamas, as famílias retiravam o que podiam das casas ameaçadas de serem atingidas. A maioria das pessoas ajudava a carregar os objetos para a rua. Mas alguns bandidos aproveitaram para furtar o que estava sendo “salvo” do incêndio. “A Polícia Militar está presente para afastar os curiosos e garantir que o Corpo de Bombeiros faça seu trabalho. Mas também estamos prevenindo o roubo ou furto dos objetos das famílias”, explicou o capitão da PM Alex Sandro Chaves.

Susto

Além de atuar diretamente no combate às chamas nas casas incendiadas, os bombeiros faziam o resfriamento de imóveis próximos, para evitar que pegassem fogo. Em uma dessas residências, um grupo de militares passou um susto. Eles estavam na parte superior da casa – de dois pavimentos – quando foram surpreendidos por um flashover, fenômeno comum em grandes incêndios, que consiste na liberação de fumaça com bastante material combustível, em função da alta temperatura e oxigênio. Um dos bombeiros saltou do pátio da casa. Os outros dois conseguiram descer a escada rapidamente e não se machucaram.

Por volta de 19h30, o fogo foi controlado e iniciou o trabalho de rescaldo, para impedir que as chamas se alastrassem novamente.

Drama

Muitos moradores da área estavam no local de trabalho na hora do incêndio. Foi o caso do pedreiro Francisco Borges, que soube da tragédia por telefone. Abandonou a obra onde estava trabalhando para garantir dinheiro para a ceia de fim de ano e correu pra ver o que tinha acontecido em casa. “Eu não sei como está lá. Não me deixam passar. Sei que minha família está bem. Isso é o mais importante”. Mais tarde, Francisco conseguiu chegar à casa e viu que o imóvel havia sido destruído parcialmente. “É triste ver o que a gente lutou tanto pra conseguir se perder em questão de minutos”, lamentou.

A Defesa Civil fez o levantamento do número de famílias atingidas pelo sinistro para que sejam assistidas pelo poder púbico. O homem que provocou o incêndio foi identificado apenas como “Jhonata” e está sendo procurado pela polícia, juntamente com um comparsa.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui