Senador amapaense participa de evento sobre meio ambiente na Alemanha

  • Davi vai apresentar o Amapá aos participantes do evento da ONU, na Alemanha
    Davi vai apresentar o Amapá aos participantes do evento da ONU, na Alemanha - Divulgação
Temos muito a aprender com experiências estrangeiras, mas também podemos mostrar, por exemplo, nossas atitudes de conservação da Amazônia, ou das unidades de conservação do nosso Estado —   Davi Alcolumbre

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), apresentará o Amapá a mais de 195 países na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática- COP 23, a maior rodada de negociações sobre o clima. A conferência está sendo realizada em Bonn, na Alemanha, desde o dia 06 de novembro. O senador chega ao país germânico neste sábado, 11, e fica até o dia 17 de novembro juntamente com representantes de mais de 195 países para debaterem as mudanças climáticas.

O objetivo do evento é viabilizar formas de promover os objetivos do Acordo de Paris, firmados na COP21, em 2015, onde foram propostas ações de sustentabilidade para cada país participante na missão de diminuir a temperatura do planeta em, pelo menos dois graus.  Após o governo Trump anunciar a saída dos EUA do acordo de Paris, o mundo vai tentar realinhar forças para impedir o aumento da temperatura global.

Neste encontro, na Alemanha, o senador Davi Alcolumbre, presidente da Comissão do Meio Ambiente no Senado Federal, participará de oficinas e debates importantes com representantes mundiais a fim de trazer para o Brasil experiências e vivências do mundo, bem como levar o que de bom o Brasil tem para oferecer na área de sustentabilidade. “Num debate deste, temos muito a aprender com experiências estrangeiras, mas também podemos mostrar, por exemplo, nossas atitudes de conservação da Amazônia, ou das unidades de conservação do nosso Estado”, afirma o senador Davi.

A problemática das altas temperaturas da atmosfera e dos oceanos, das mudanças climáticas, da devastação das florestas, falta de água, mau uso de energias renováveis são problemas que atingem a todos, dos mais pobres aos mais ricos países. “O discurso de que temos de deixar um planeta melhor para nossos filhos ficou atrasado. A situação é mais emergente. Temos que cuidar agora. Quem sabe assim sobrará algo para nossos filhos”, diz o senador Davi.

No Brasil, a principal fonte de emissões que causam as mudanças climáticas é sem dúvida o desmatamento. Os números não são espetaculares, mas observa-se entre agosto de 2016 e julho deste ano uma diminuição de 20%. Segundo o senador Davi, com uma conscientização ambiental é possível fazer um bom trabalho no Brasil. “Temos potencial de energias renováveis. A solar e a eólica, se bem exploradas, seríamos exemplo para o mundo”, diz o senador.

Região Norte dá exemplo

Com todo o cenário caótico que estamos vivendo, o Brasil foi o país que mais diminuiu suas emissões, segundo pesquisas.

O desmatamento acumulado na região Amazônica foi de 2.834 Km². É um número menor que o do ano passado (3.580 Km²) e retrasado (3.323 Km²) na série histórica.

Senador Davi Alcolumbre participará do evento representando o Estado do Amapá, que é uma, unidade da Amazônia e tem 72% do seu território constituídos de unidades de conservação e terras indígenas (10.277.970,00ha). ”É a maior contribuição proporcional existente entre todos os Estados brasileiros. Temos cerca de 97% de todas as coberturas florestais preservadas”, disse o senador.

Mundo unido por temperaturas mais baixas

O encontro deste ano tem o objetivo, real, de regulamentar os resultados que cada país firmou na COP21, realizado em Paris, em 2015. O acordo da capital francesa foi o único na história das COPs em que todos os 195 países participantes se comprometeram em reduzir as emissões dos gases que causam efeitos climáticos.

Manter a temperatura média do planeta abaixo de 2 graus nesse século (até 2020) é uma das metas estabelecidas no Acordo de Paris. Segundo a ONU, em relatório divulgado no fim de outubro, os governos e os atores não estatais precisam ser mais eficientes em suas metas para garantir que os objetivos dos feitos na capital parisiense sejam alcançados.

O aquecimento global é o processo de mudança da temperatura média global na atmosfera e nos oceanos. O acúmulo de altas concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera bloqueia o calor emitido pelo sol e o prende na superfície terrestre, aumentando as temperaturas.

O aumento significativo das emissões de gases do efeito estufa associado a outras ações também promovidas pela atividade humana, como o desmatamento de florestas por exemplo, têm sido determinantes, acredita-se, para o desequilíbrio do balanço de energia do sistema, ocasionando maior retenção de energia e o aumento do efeito estufa, com o aquecimento da baixa atmosfera e aumento da temperatura média do planeta e possíveis distorções ambientais. O aquecimento global se tornou um dos maiores problemas da Terra, com efeitos que podem ser catastróficos.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui