Estado define plano de enfrentamento à violência contra a mulher santanense

  • O encontro ocorreu no auditório do Ministério Público Estadual
    O encontro ocorreu no auditório do Ministério Público Estadual ASCOM/SEPM
img
Elder de Abreu
REPÓRTER E EDITOR
Pesquisa feita pela Fundação Orvalho de Hermon, que indica que 4,5% das mulheres santanenses sofreram algum tipo de violência de janeiro a junho de 2016

O Estado deverá lançar, no mês de novembro, um plano de ação para conter a violência contra a mulher no município de Santana. A iniciativa é da Secretaria Extraordinária de Políticas para as Mulheres (SEPM), que nesta segunda-feira, 16, reuniu vários órgãos da Rede de Atendimento à Mulher (RAM) do município de Santana. O encontro ocorreu no auditório do Ministério Público Estadual.

De acordo com a secretária Extraordinária de Política para as Mulheres, Aline Gurgel, uma pesquisa feita pela Fundação Orvalho de Hermon indica que 3,73% das mulheres santanenses sofreram algum tipo de violência de janeiro a junho de 2017; São 12,2 casos de violência contra a mulher por dia; e a cada 1 hora e 58 minutos uma mulher santanense sofreu algum tipo de violência. “Estes números já justificam uma estratégica específica para a cidade de Santana. Queremos construir um plano em conjunto com os órgãos, para que possamos integrar as ideias e obter uma forma de frear essa violência”, avalia Gurgel.

Ela anunciou que um aplicativo para celulares, com o objetivo de receber denúncias de violência contra a mulher, deve ser lançado em breve. “Toda a rede terá acesso ao aplicativo, onde vai constar a localização de onde estão os maiores índices de violência, não só em Santana, mas em todo o estado do Amapá”, garantiu a secretária.

Conforme definido na reunião, o plano deverá ser lançado durante a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos. O período também engloba o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, em 6 de dezembro.

A RAM

A RAM é formada por SEPM, Penitenciária Feminina, Creas, Igualdade Racial, Coordenadoria Municipal de Relações Comunitárias, Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf), Cejusc, Promotoria da Mulher, Ifap, Defensoria Pública, Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), Câmara Municipal, Instituto Sheltes, Semasc, Casa Abrigo Fátima Diniz, Centro do Idoso e Hospital de Emergências.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui