Polícia Civil confirma que novos ataques às forças de segurança podem ocorrer a qualquer momento

  • Documento determinou o uso de coletes por todos os agentes de segurança
    Documento determinou o uso de coletes por todos os agentes de segurança Divulgação
img
Elder de Abreu
REPÓRTER E EDITOR
Informação do Serviço de Inteligência confirmou que unidades policiais podem ser alvos do crime organizado

O ataque a policiais militares em um prédio da Justiça e a invasão à uma delegacia, ambas investidas criminosas ocorridas em Santana, podem ter ativado o alerta máximo das forças de segurança.

Um comunicado interno da Polícia Civil determinou que todos os agentes passem a usar proteção contra tiros em tempo integral durante o serviço. Trata-se de um memorando expedido pelo Departamento de Polícia do Interior (DPI) – unidade que comanda delegacias de 15 cidades amapaenses, incluindo Santana. O documento é datado de quinta-feira,14 de setembro de 2017.

O Correio de Santana (CS) não conseguiu entrar em contato com o diretor do DPI, delegado Uberlândio Gomes, que foi quem subscreveu a ordem de precaução a ataques. Entretanto, os dois eventos criminosos ocorridos esta semana em Santana e a sequência de sete homicídios em seis dias podem ter motivado a medida.

Ataque ao Fórum

O CS já havia confirmado que o Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) da Polícia Civil está oficialmente à frente da investigação para identificar os suspeitos que dispararam contra um prédio da Justiça do Amapá, o Fórum de Santana.

O documento expedido pelo DPI confirma que é do serviço de inteligência a informação de que são possíveis novos ataques. “Comunicamos que todos os policiais civis subordinados a este departamento, deverão usar coletes balísticos durante suas atividades nas delegacias, tendo em vista que segundo informação do serviço de inteligência, nossas Unidades Policiais podem ser alvo de ataques de criminosos a qualquer momento”, diz o documento.

O ataque ao Fórum ocorreu na noite de sábado, 9, por volta de 21h. Tiros atingiram a guarita onde estavam dois policiais militares. Nenhum deles foi atingido, mas uma mulher que passava pelo local no momento dos disparos foi baleada em uma das pernas.

O episódio causou uma sensação de insegurança no expediente da Comarca de Santana em relação à ousadia de disparar contra um prédio do Poder Judiciário. Em nota oficial, o Tribunal de Justiça do Amapá informou que estão previstos e em execução investimentos na segurança institucional, tanto para magistrados quanto para os demais servidores. Segundo a Assessoria de Comunicação do TJAP, os recursos empregados neste segmento somam R$ 4,5 milhões para o período 2017/2018.

Invasão à delegacia

Quatro dias depois do ataque ao Fórum, uma nova ação criminosa contra as forças de segurança pública foi registrada. Na madrugada de quarta-feira, 13, a 2ª DP de Santana, que investiga casos relacionados a crimes contra o patrimônio, foi invadida por três criminosos, que tentaram, mas não conseguiram, levar uma arma e uma CPU, onde dados sobre investigações em curso estão armazenados.

Dois dos três suspeitos já estão presos. De acordo com a delegada Luiza Maia, titular da unidade violada, o objetivo dos bandidos era comprometer arquivos de provas e peças de inquéritos policiais. Os dois acusados já presos, são, inclusive investigados por crime de furto.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui