Kaká assume a presidência da Alap e anuncia corte de gastos

  • Kaká Barbosa assumiu a presidência no lugar de Jaci Amanajás
    Kaká Barbosa assumiu a presidência no lugar de Jaci Amanajás - Ruan Alves
Vamos montar uma comissão ainda essa semana para cuidar disso. Precisamos nos adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal e seguir as orientações do Tribunal de Contas. —   Kaká Barbosa - presidente da Alap

O deputado estadual Kaká Barbosa (PTdoB) tomou posse nesta quarta-feira, 1, como presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap). Entre as medidas anunciadas pelo novo presidente estão o corte de gastos com pessoal, regularização do pagamento dos servidores e gestão transparente, com apoio dos órgãos de controle.

A solenidade contou com a maioria dos deputados estaduais, representantes do governo do estado, Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas do Estado (TCE), além de convidados. O novo presidente, eleito em 2016, disse que o país passa por um novo momento e quer que esse exemplo seja seguido no Amapá. Por isso, pediu o apoio dos órgãos fiscalização e controle para orientá-lo na condução do Legislativo. “Eu pedi que eles me orientem para que possamos fazer uma gestão correta e sem irregularidades”, disse Kaká.

O presidente também disse que pretende cumprir uma recomendação do TCE para a redução de gastos com pessoal. “Vamos montar uma comissão ainda essa semana para cuidar disso. Precisamos nos adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal e seguir as orientações do Tribunal de Contas”, justificou.

Kaká também prometeu prioridade no pagamento dos servidores da casa, que voltou a sofrer atraso nos últimos meses, com parte dos trabalhadores ficando sem receber. “Quando assumi interinamente, paguei em dia os salários e recolhemos os encargos corretamente. A partir de agora, isso vai ser prioridade também”, assegurou.

O novo presidente exerce o quarto mandato consecutivo e, por dez anos, presidiu a Comissão de Orçamento da Alap. Em dezembro de 2015, assumiu a presidência depois do afastamento do então presidente Moisés Souza (PSC), suspeito de irregularidades e que se encontra preso. Ficou no cargo até agosto de 2016, quando o restante da mesa diretora renunciou aos cargos, provocando nova eleição para o fim do biênio 2015/2017, cujo presidente eleito foi Jaci Amanajás (PV), que passou o bastão para Kaká nesta quarta.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui