Matança em Santana não tem ligação com assassinato de policial, afirma PM

  • Três jovens morreram no local
    Três jovens morreram no local Foto - Divulgação
  • Bruno exibe dinheiro e afirma que
    Bruno exibe dinheiro e afirma que "vida d ladrão não é tão ruim" Foto - Divulgação
  • "Vida loka": Irmãos diziam que suas vidas não durariam muito Foto - Divulgação
O crime ocorreu na Rua Presidente Kennedy, no bairro Hospitalidade. Testemunhas contaram que três homens encapuzados desceram de um carro prateado e começaram a disparar.

A Polícia Militar (PM) afirmou que as quatro mortes desta madrugada no município de Santana não têm ligação com o assassinato do sargento Agenildo Quaresma, ferido a tiros no último domingo, 23. O militar, que morreu na noite de quarta-feira, 26 – algumas horas antes da chacina – será enterrado na manhã desta sexta-feira, 27. O Velório ocorre na Câmara de Vereadores do Município.

Ambos os casos agora estão com a Polícia Civil, que já abriu os inquéritos. Embora as investigações tenham iniciado ainda na madrugada, até esta tarde não havia nenhum nome na lista de suspeitos. Até mesmo os motivos são desconhecidos. Segundo informações colhidas pela PM no local, os quatro jovens foram executados por volta de 1h30.

O crime ocorreu na Rua Presidente Kennedy, no bairro Hospitalidade. Testemunhas contaram que três homens encapuzados desceram de um carro prateado e começaram a disparar. Em seguida entraram novamente no veículo, onde outros três homens também estariam a bordo, e fugiram.

A maioria dos tiros atingiu as cabeças das vítimas. Uma delas chegou a ser levada para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos. Ozias Lacerda Pinheiro, de 19 anos, e os irmãos Bruno Cavalcante Brito e Jacildo Oliveira Brito Júnior, de 20 e 17 anos, respectivamente, morreram no local. Arinaldo Anjos Dias, de 20 anos, morreu logo depois de dar entrada no Hospital de Emergências de Santana. Todos eram moradores do bairro Hospitalidade e não tinham antecedentes criminais

“Vida loka”

Durante esta quinta-feira, 27, circularam em redes sociais imagens de postagens dos irmãos Bruno e Jacildo. Nas publicações, eles faziam referências à expressão “vida loka” – termo usado por criminosos para descrever o cotidiano de delitos. Nas fotos, Bruno e Jacildo posavam com gestos das mãos imitando armas de fogo. Em outra postagem, na qual exibia dinheiro, Bruno comentou: "vida de ladrão não é tão ruim".

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui