Pré-candidatura de Heverson Castro à Prefeitura de Santana dá o que falar

  • Aos 32 anos, Heverson Castro lançou sua pré-candidatura à Prefeitura de Santana
    Aos 32 anos, Heverson Castro lançou sua pré-candidatura à Prefeitura de Santana
Castro defende a criação de uma frente política para desenvolver o município de Santana.

Gostem ou não, Heverson Castro sabe causar polêmica. Vira e mexe, o jornalista se envolve em algum debate, a maioria no campo político. A discussão da vez gira em torno do próprio Castro, que anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura Municipal de Santana (PMS).

Desde o anúncio, na semana passada, Heverson Castro tem percorrido veículos de comunicação para falar de suas propostas para o segundo maior município do Amapá. Nas redes sociais, também debate sobre o que propõe enquanto pré-candidato.

A pré-candidatura surge no momento em que o ex-prefeito da cidade, Antônio Nogueira, discute um grande projeto de coalizão para derrotar o prefeito Ofirney Sadala. Porém, o nome a ser apresentado ao eleitor ainda não está definido e poderia ser, inclusive, de outro partido.

Em suas entrevistas, o jornalista Heverson Castro afirma que colocou seu nome à apreciação da militância do PT e dos eleitores de esquerda e quer construir um programa de governo pautado nas necessidades da população santanense. "Queremos apresentar uma proposta para a cidade, um projeto com um programa de governo democrático e popular que tire Santana do atraso, gere emprego para o povo e desenvolvimento econômico”, afirmou.

Além da geração de emprego, renda e desenvolvimento econômico, a educação é outra área que seria tratada com prioridade, caso Castro fosse eleito prefeito de Santana. A questão da universalização do acesso às creches e a implantação de escolas-modelo nos moldes da gestão do modelo pedagógico-organizacional da Escola Fundação Bradesco (Escola Janary Nunes), que na visão do pré-candidato seria uma experiência a ser seguida.

"Vamos garantir a igualdade de oportunidades para as crianças, garantindo desde o uniforme escolar (sapato, camisa, calça e short) ao material escolar. Serão as escolas-modelo que iremos implantar em Santana onde daremos um salto de qualidade na educação básica", explica.

Castro afirma que vai buscar o apoio de lideranças políticas importantes, como o ex-senador João Capiberibe (PSB), o deputado federal Camilo Capiberibe (PSB), deputado estadual Paulo Lemos (PSOL), do ex-deputado Joel Banha (PT), senador Randolfe Rodrigues (Rede), e outras lideranças para a formação de partidos para disputar a eleição.

Unidade Popular por Santana

Heverson Castro defende a formação de uma frente política com partidos e lideranças do campo democrático popular, setores progressistas e diz que vai buscar apoio de lideranças importantes a nível municipal e estadual para contribuir com a cidade.

"Quero o apoio do ex-senador Capi para colocar em prática uma prefeitura transparente, a gestão compartilhada para governar com controle social. Quero o apoio do senador Randolfe, o melhor senador do país, ajudando Santana com emendas e abrindo portas em Brasília. Queremos o apoio do deputado Camilo Capiberibe, que faz parte da Comissão de Transporte da Câmara dos Deputados e que já decidiu que o Porto é sua principal bandeira e queremos ser o parceiro do projeto de expansão e desenvolvimento do Porto", lembrou.

A formação da frente política defendida por Heverson Castro envolveria PT, PSB, PSOL e Rede, além de quadros da academia e dos movimentos sociais com experiência em governos e na gestão municipal.

Militante da esquerda e dos movimentos sociais desde os 14 anos de idade quando ingressou no movimento estudantil, membro do Diretório Estadual do PT, Heverson Castro, hoje, com 32 anos, tem se colocado como uma das principais vozes da imprensa santanense e diz estar preparado para construir uma candidatura vitoriosa rumo ao Palácio Roselina Matos.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários