Instituições públicas e privadas de Santana recebem placas de prioridade para autistas

  • Alguns estabelecimentos receberão as placas ao longo da próxima semana
    Alguns estabelecimentos receberão as placas ao longo da próxima semana - Maksuel Martins
Medida atende a uma lei estadual que obriga o uso das placas nos estabelecimentos públicos e privados.

Nesta sexta-feira, 3, representantes de instituições públicas, privadas e comerciais de Santana receberam do Governo do Amapá placas de atendimento preferencial com o símbolo do autismo. A iniciativa atende à Lei 2170/2017 que obriga estabelecimentos públicos e privados a incluírem a figura do quebra-cabeça, símbolo mundial do autismo, nas placas de atendimento prioritário e também a afixação de placas educativas contendo informações sobre o tema e frases sobre os direitos das pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Escolas, empresas privadas, instituições públicas e clínicas médicas aderiram à inclusão e foram ao Super Fácil da cidade receber as placas. "Basicamente, trabalhamos com clientes preferenciais, e, para nós, é um privilégio incluir mais essa marca entre nossas prioridades", falou o diretor executivo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Camecran Silva.

Para a presidente da Associação Santanense de Pais e Amigos de Autistas, Cristiane Barbosa, a importância das placas está, principalmente, na informação. "Muitas vezes, a mãe de um autista está na fila e é discriminada, porque o autismo não está na cara, não é visível, então, com essa identificação, essas pessoas serão mais respeitadas", acredita Cristiane.

O Super Fácil foi escolhido para sediar a cerimônia de entrega das placas por ocasião do trabalho que desenvolve em atenção às pessoas com autismo e seus familiares. Há uma semana, a unidade da Zona Oeste, em Macapá, que emite carteiras de identificação do autista, inaugurou a Sala TEAcolho, para atender e cuidar das famílias de pessoas com a síndrome.

"Em abril, fizemos a Semana TEAcolho, e foi um sucesso. Agora, participamos da entrega dessas placas. Para nós, é uma honra fazer parte da história de conquistas dessas pessoas", disse a diretora-geral do Super Fácil, Luzia Grunho.

Algumas placas foram entregues durante a cerimônia e outras serão enviadas a representantes de instituições públicas e privadas ao longo da semana. "A gente até imagina o que essas famílias sentem, mas não sabemos de fato. Existem inúmeras síndromes, algumas que nem conhecemos. Com o autismo, eu pude perceber a diferença nas relações mais simples entre crianças e jovens. Essa placa também é uma forma de eles dizerem 'ei, estamos aqui'. Faço isso como missão, como mãe e podem contar comigo", declarou a deputada Marilia Góes (PDT), autora da lei.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários