Empresário nega mudanças no itinerário da linha Macapá/Santana

  • Pelo menos por enquanto, empresas vão manter o mesmo itinerário dentro de Santana
    Pelo menos por enquanto, empresas vão manter o mesmo itinerário dentro de Santana
Trajeto entre as duas cidades está sendo feito em até duas horas e quarenta minutos.

Diferente do que foi veiculado nas redes sociais e até por alguns veículos de comunicação, o itinerário dos ônibus que operam a linha Macapá/Santana não sofrerá alterações. A informação foi confirmada pelo empresário Décio Melo, dono da empresa Sião Thur, no início da tarde desta sexta-feira, 3.

A linha entre a capital e o segundo maior município do Estado é explorada por duas empresas, com trajeto pelas rodovias JK e Duca Serra. A possibilidade de mudança no itinerário chegou a ser levantada, diante das condições das ruas e avenidas de Santana que servem como corredores de ônibus, como a Rua Tancredo Neves e a Avenida Coelho Neto. “Estamos tendo muito prejuízo com os veículos, por conta da buraqueira. Sem contar que as viagens estão mais demoradas por conta desse problema”, argumentou Décio Melo.

Diariamente, cada empresa faz 96 viagens entre as duas cidades, tanto por Fazendinha quanto pelo Distrito do Coração. O trajeto, que normalmente é concluído em duas horas e dez minutos, está sendo feito em até duas horas e quarenta minutos.

Nesta sexta, Melo, que também é presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá (Setap), reuniu com o secretário de Obras Públicas e Serviços Urbanos do município de Santana, Juscelino Alves. O empresário apresentou um relatório detalhado sobre o estado das vias e as consequências que tem provocado às empresas.

O secretário prometeu fazer uma intervenção, mesmo que paliativa, nas vias com maior problema e solicitou que o itinerário seja mantido. “A princípio, vamos manter. Mas, se nada for feito até a semana que vem, não teremos outra escolha a não ser mudar a rota dos ônibus. O que vai ser ruim para todo mundo: para os passageiros, que já estão acostumados com o percurso atual; e para as empresas, que vão transportar menos gente”, finalizou Décio Melo.

1 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentários

  •  
    Clodoaldo

    03/05/2019 às 17:20h

    Duas empresas nada.. esse monopólio é feito à muito tempo e o governo não tá nem aí