Projeto vai debater depressão em escolas de Santana

  • Escola Estadual Augusto Antunes será a primeira unidade de ensino a receber o projeto
    Escola Estadual Augusto Antunes será a primeira unidade de ensino a receber o projeto
A cada duas semanas, o Ciclo de Combate à Depressão estará em uma nova escola

A Escola Estadual Augusto Antunes, em Santana, foi escolhida para receber o 1º Ciclo de Combate à Depressão, uma iniciativa do Projeto Fazer Diferente, com apoio de psicólogos, para abordar um tema delicado e que é uma das principais causas do suicídio. O evento inicia nesta segunda-feira, 29, e vai até 3 de maio.

Segundo dados da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), divulgados no ano passado, a depressão atinge cerca de 300 milhões de pessoas no mundo. Em muitos casos, o transtorno leva ao suicídio. De acordo com a OPAS, 800 mil pessoas, por ano, tiram a própria vida, em todo o planeta.

Preocupados com o alto índice de suicídios no Amapá, em especial no município de Santana, os responsáveis pelo Projeto Fazer Diferente decidiram, com apoio de especialistas, debater a depressão para tentar ajudar quem sofre desse transtorno.

No dia 29, haverá a apresentação do Ciclo, roda de conversa sobre os sintomas e tratamento da depressão, e atendimento pelos psicólogos voluntários. Na terça, 30, a programação continua com rodas de conversa e atendimentos especializados. Na quarta, 1 de maio, não haverá atividades, por conta do feriado do Dia do Trabalho. O projeto será retomado na quinta, 2, com exposição de conhecimento específico e profundo sobre o tema, objetivando preparar os jovens para lidar com possíveis casos de depressão de alguém próximo. Na sexta, 3, ocorrerá o encerramento da programação.

A cada duas semanas, uma nova escola será atendida pelo projeto. O intervalo de uma semana, entre uma ação e outra será para o planejamento das ações. “O objetivo não é só explicar o que é a depressão; queremos entrar nas escolas e fazer um minicurso para capacitar os jovens a saber mais sobre a depressão, o que fazer com a depressão, de que forma identificar, quais as causas e consequências desse transtorno”, explicou Mario Viana, coordenador do Projeto Fazer Diferente.

Em cada escola será formado um grupo de alunos, capacitados para identificar casos de depressão e informar aos psicólogos assim que perceber que alguém precisa de ajuda.

1 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentários