Suspeito de matar cabo da PM é preso na Área Portuária de Santana

  •  Glebson estava usando a mesma camisa que estava no dia do crime
    Glebson estava usando a mesma camisa que estava no dia do crime
Glebson foi preso menos de 24 horas depois da morte do cabo Sandro Ataíde

A Polícia Militar do Amapá prendeu na madrugada desta terça-feira, 12, na Área Portuária de Santana, o principal suspeito de ter assassinado o cabo da PM Sandro Ataíde, de 33 anos, na madrugada de segunda-feira, 11.

Por volta de 4h, uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar foi até o Porto do Grego, em Santana, checar a informação de que Glebson Felipe Pinto, 21 anos, estaria preparado para deixar o Amapá com destino à cidade de Belém (PA). No momento da abordagem, Glebson teria confessado envolvimento no homicídio do policial e afirmou que a arma roubada do policial teria sido vendida por R$ 1,5 mil, dinheiro que foi usado para comprar a passagem para a capital paraense. Ele usava a mesma camisa que estava na madrugada do assassinato do pm.

“Desde que o crime ocorreu, iniciamos o trabalho de investigação, junto à Polícia Civil, para prender o assassino. E obtivemos êxito na madrugada de hoje, com a prisão do Glebson, quando estava prestes a deixar o Amapá”, explicou o comandante do Bope, tenente-coronel Paulo Matias.

Glebson, que tá tem passagem pelo Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) pelo crime de roubo, foi levado para o Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp) do Pacoval, na região central de Macapá. Após prestar depoimento, será encaminhado para audiência de custódia para decidir se ele permanecerá preso ou se vai responder ao processo em liberdade.

O corpo do cabo Sandro Ataíde está sendo velado desde a noite de ontem, no ginásio poliesportivo do Comando Geral da Polícia Militar, no bairro Beirol, zona sul da capital. O sepultamento está marcado para as 10h, no cemitério São José, no bairro Buritizal.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários