Em protesto inusitado, moradores interrompem tráfego em via do Provedor 2

  • Moradores prometem manter a via interditada até que tenham uma resposta do poder público
    Moradores prometem manter a via interditada até que tenham uma resposta do poder público
img
Jonhwene Silva
Editor de esportes
A Travessa 20 é uma das principais vias de ligação dos bairros Igarapé da Fortaleza e Vila Amazonas, com o centro da cidade

Cansados de esperar pelo poder público por melhorias, os moradores da Travessa 20, bairro Provedor 2, em Santana, interromperam o tráfego de veículos na via. De quebra, para chamar a atenção, posaram ao lado de mesa, com caixas de som, cerveja e até um cãozinho. O protesto inusitado ganhou as redes sociais onde gerou polêmica.

A Travessa 20 é uma das principais vias de ligação dos bairros Igarapé da Fortaleza e Vila Amazonas, com o centro da cidade e está com sérios problemas estruturais. A buraqueira tomava conta de um lado a outro e no período das chuvas, imensas poças d’água impossibilitavam o trânsito de pedestres, ciclistas e veículos. Dessa forma, os moradores colocaram pedaços madeira, pneus velhos e até a carcaça de uma TV, no meio da pista para impedir o trânsito.

De acordo com a população, foram várias as tentativas e pedidos de melhorias. Tanto junto ao Governo do Estado, quanto na administração municipal. O ciclista Anderson Barriga conta que encurta o caminho usando a Travessa 20, mas, como os moradores fecharam, agora, precisa fazer outro percurso. “Infelizmente, os moradores estão certos. Eu passo por aqui todos os dias e agora estou indo por outro caminho. Mas já estava muito feio e cheio de buracos. Com isso, não tiro a razão deles não”, afirmou.

O professor Robson Paiva relata que cansou de fazer pedidos às autoridades, de noticiar o descaso com a falta de melhorias e que os moradores não tiveram outra alternativa. “Cansamos! Essa é a expressão. Tentamos de todas as formas fazer com que as autoridades olhassem por nós. Mas não tivemos atenção. Com isso, não tivemos alternativas a não ser interromper o tráfego porque já estava oferecendo riscos para todos. Enquanto não tivermos uma posição de quando teremos os serviços, não vamos desbloquear a via”, finalizou Paiva.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários