Santanenses poderão ser contemplados com o Cartão Reforma

  • Nesta terça-feira, Euricelia Cardoso reuniu com o chefe de gabinete do Ministério das Cidades, Danilo Ferreira
    Nesta terça-feira, Euricelia Cardoso reuniu com o chefe de gabinete do Ministério das Cidades, Danilo Ferreira
Além de permitir que melhorem as condições de suas moradias, isso movimenta o comércio local, com a venda de material de construção. —   Euricelia Cardoso - deputada federal

Depois de ter duas propostas reprovadas pelo governo federal, o município de Santana poderá ser contemplado com o Programa Cartão Reforma. O Ministério das Cidades deverá rever o parecer desfavorável, dado no início do ano, e, com isso, contemplar as famílias santanenses.

A revisão da análise atende um pleito da deputada federal Euricelia Cardoso (PP), que reuniu na noite desta terça-feira, 3, com o chefe de gabinete do Ministério das Cidades, Danilo Ferreira. “Entendemos que houve um equívoco na análise, porque o município cumpriu com todas as exigências do programa. Por isso, solicitamos que seja feita uma reconsideração do parecer”, justificou a parlamentar.

O chefe de gabinete se comprometeu em fazer uma nova análise sobre as informações prestadas pela Prefeitura Municipal de Santana (PMS). Segundo o edital 001/2018, Santana teve dois projetos reprovados. Segundo o Ministério das Cidades, o motivo da reprovação foi “média do número de cartões estimados por proposta inferior a 50”.

“Esperamos que seja dado um novo parecer, para que as famílias santanenses possam ter direito ao cartão reforma. Além de permitir que melhorem as condições de suas moradias, isso movimenta o comércio local, com a venda de material de construção”, analisou Euricelia Cardoso.

O Cartão Reforma foi criado pelo presidente Temer em abril de 2017 e é voltado às famílias com renda mensal de até R$ 2,8 mil para que elas possam reformar suas residências. Os beneficiários terão crédito médio R$ 5 mil para comprar materiais de construção. Segundo o governo federal, os recursos variam de R$ 2 mil a R$ 9 mil.

O titular da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Habitação de Santana (Semduh), Lindemberg Araújo Mota, disse que o governo federal reprovou as propostas por entender que o município tinha menos de 50 mil habitantes, o que já foi esclarecido. “Entramos com o recurso, mostrando que temos mais de 100 mil habitantes, inclusive com base nos dados do IBGE. Mas o governo federal não deu uma resposta sobre esse recurso”, explicou o gestor.

A Prefeitura de Santana cadastrou 235 cartões para famílias dos bairros Paraíso, Fonte Nova e Fé em Deus. “Esperamos que o Ministério das Cidades dê logo o novo parecer para que possamos fazer a seleção das famílias e a entrega dos cartões”, afirmou Lindemberg Araújo.

Ponte do Rio Jari

A deputada Euricelia Cardoso também solicitou uma audiência com o ministro das Cidades, Alexandre Baudy, para a próxima semana, para tratar sobre a ponte do Rio Jari, no sul do Amapá, cujas obras estão paralisadas. O tema é prioridade da parlamentar, que busca esclarecer os motivos da paralisação dos trabalhos e buscar alternativas para a retomada da construção. “Nessa audiência, vamos reunir os prefeitos de Laranjal e Vitória do Jari, de Monte Dourado [PA], das Câmaras municipais das três cidades, representantes da Caixa Econômica Federal e da Justiça Federal para esclarecer o que, de fato, fez com que essa obra fosse paralisada e discutir soluções para que ela seja retomada”, concluiu Euricelia.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui