Ofirney Sadala inclui no orçamento da prefeitura despesas com a própria casa

  • Prefeito de Santana quer que despesas de sua casa sejam pagas com recursos públicos
    Prefeito de Santana quer que despesas de sua casa sejam pagas com recursos públicos
É um absurdo autorizar que as contas e despesas pessoais da casa dele sejam pagas pela prefeitura —   Anderson Almeida - vereador

Vereadores santanenses devem votar na sessão desta quinta-feira, 28, o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício 2019, encaminhado pelo prefeito Ofirney Sadala, que trata, entre outras coisas, sobre o uso de recursos públicos para a manutenção de sua residência. O assunto gerou polêmica entre a oposição e dúvidas entre os parlamentares da base.

O projeto que estabelece as prioridades da administração pública municipal e trata das despesas com pessoal e encargos sociais, menciona entre, outras metas, a manutenção das atividades da Junta Militar, Ouvidoria e Gabinete, mas o que chamou a atenção foi o pedido de aprovação para gastos com a residência chamada, por Ofirney Sadala, de “oficial”.

O documento foi lido e, antes que fosse levado à apreciação, o vereador Anderson Almeida (DEM) pediu a retirada da pauta. O parlamentar considerou uma falta de zelo com o recurso público e descartou a aprovação. “É um absurdo autorizar que as contas e despesas pessoais da casa dele sejam pagas pela prefeitura. É uma imoralidade e não podemos aceitar isso”, questionou Almeida.

Localizada na Avenida José de Anchieta, no bairro Hospitalidade, onde também funciona um cartório de imóveis, a residência de Ofirney Sadala não é considerada pela maioria dos parlamentares uma casa oficial. Além de Anderson Almeida, os vereadores Rarison Santiago (PRP), Genival Oliveira (PTC), Robson Coutinho (PR) e Socorro Nogueira (PT) também devem rejeitar o projeto.

Com a repercussão nas redes sociais, o ex-prefeito de Santana, Antonio Nogueira (PT), também se manifestou e disse que, ao assumir a prefeitura em 2005, acabou com o que ele considera farra do município em bancar as despesas da casa do prefeito. “A PMS pagava os empregados da casa, a comida e outras despesas do prefeito, acabei com essa vergonha tirando, do orçamento e da LDO, a possibilidade dessas despesas. Os empregados domésticos, as despesas com alimentação e tudo mais paguei com meu salário, durante oito anos de mandato”, defendeu Nogueira, afirmando que espera severidade dos vereadores contra o projeto.

Por meio da assessoria de comunicação, a Prefeitura de Santana informou que há decreto que regulamenta a casa do prefeito Sadala como "residência oficial" e que o gestor irá se manifestar nos próximos dias.

2 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

2 Comentários

  •  
    alex

    28/06/2018 às 14:45h

    PARABÉNS SENHOR PREFEITO DISSE QUE IRIA ENTRAR PRA HISTORIA E ENTROU MESMO, COMO PREFEITO QUE MAIS CAUSOU TRISTEZA NOS SEUS ELEITORES. PENSEI QUE O PREFEITO ANTERIOR TINHA SIDO O PIOR, E VEIO O ATUAL E O ULTRAPASSOU.

  •  
    kedina

    29/06/2018 às 21:20h

    engraçado q qndo é pra ajudar o povo,o prefeito não se manifesta em nada agora pra satisfazer o lado dele é rápido pra pensar crie vergonha na sua cara seu Orfiney e venha trabalhar para o povo e não pra vc..aff

Anuncie Aqui